3.4.08

A casa ainda não é minha,
meus pés eu sinto se sujam a cada passo
eu sempre saio de casa
antes
de chegar em casa.

Eu enumero as cores.
Três vezes vermelho
Duas vezes laranja
Também dois azuis,
um roxo,

E o amarelo que a gata escolheu
(arranha as unhas, faz manha).

Na parede ele me acena de longe no tempo
Respondo com um imperceptível gesto de rosto e olhos
de ainda mais longe, mais longe ainda.

No posto de gasolina,
o senhor me diz
- Só tem imundície, ninguém anda lado a lado.
Eu concordo, eu penso
- A verdade é que nada disso me importa
Minha dor está sempre em outro lugar.


3 Comments:

Blogger meu paredro said...

Uma dor amarela etre o minuto e a boca do estômago.

Uma distância que de perto é buraco e vento frio entrando.

um paralelepípedo na garganta.

5:24 da manhã  
Anonymous Vinho said...

Hello. This post is likeable, and your blog is very interesting, congratulations :-). I will add in my blogroll =). If possible gives a last there on my blog, it is about the Vinho, I hope you enjoy. The address is http://vinho-brasil.blogspot.com. A hug.

3:59 da manhã  
Blogger Alice Sant´Anna said...

como é que pode, essa gente no posto de gasolina sempre acerta em cheio.

quero te ver, vamos marcar?

saudades e beijos

2:35 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home